Ponte retificadora: o que é, como funciona e para que serve

Publicado por Mult Comercial em

O retificador em ponte, mais conhecido como ponte retificadora, é um conjunto de dispositivos que têm como função transformar tensões alternadas em contínuas e está presente na maioria dos dispositivos elétricos que funcionam à base de tensão contínua.

Existem muitas dúvidas a respeito dos retificadores em pontes: o que de fato eles são, como eles funcionam e quais as aplicações desses dispositivos. O funcionamento desses dispositivos é complexo, mas pode ser simplificado para facilitar a compreensão sobre o assunto.

E é exatamente isso o que a Mult Comercial preparou para o post dessa semana: descomplicamos a ciência das pontes retificadoras para que você fique por dentro de tudo o que envolve o assunto!

Acompanhe a leitura e descubra mais sobre o universo da elétrica, vamos lá:

Retificador em ponte – a ciência por trás do funcionamento

Como você já sabe, um retificador em ponte não é uma peça única, mas sim a junção de vários componentes elétricos que atuam em conjunto para transformar uma tensão alternada em contínua.

Tensão é, basicamente, a diferença de potencial elétrico entre dois pontos, ou seja, aquilo que chamamos de ddp. Para facilitar o entendimento, você pode entender a tensão como a voltagem – 127 ou 220V –, embora essa não seja a terminologia mais adequada.
Para que entenda tudo sobre o que é tensão e os principais fundamentos da elétrica, recomendamos a leitura do nosso post aqui no blog – assim você compreende melhor e fica por dentro do assunto!

Isso quer dizer que, nas tomadas, existe uma diferença de tensão que pode ser de 127 ou 220V e, hora é positiva, hora é negativa. Essa variação é o que chamamos de tensão alternada, entendeu? Para ser considerada tensão contínua, a ddp tem que ser sempre positiva.

Então, a principal função das pontes retificadoras é estabilizar as diferenças de potenciais para que elas tenham sempre valores positivos – independentemente de serem ou não constantes.

A maioria dos equipamentos elétricos que temos em casa só funciona com tensão contínua, o que significa que todos eles possuem ao menos um retificador em ponte em seus interiores – fato que aumenta ainda mais a importância desses dispositivos no nosso dia a dia.

Certo, mas quais são as partes que compõem as pontes retificadoras? Em geral, elas são compostas por:

  • Diodos: semicondutores que permitem a passagem da corrente elétrica em uma direção única – do anodo (negativo) para o catodo (positivo);

diodos

  • Resistores: dispositivo que controla o fluxo da corrente elétrica que passa por ele, transformando-a em energia térmica;

resistores

  • Capacitores: componente responsável pelo armazenamento de cargas e energia elétrica.

capacitores

O bom funcionamento dos retificadores em ponte dependem da associação correta entre essas partes e, além disso, o arranjo dos diodos no sistema dá origem aos dois principais tipos de pontes retificadoras: as de semiciclo positivo e as de semiciclo negativo.

como funciona o retificador em ponte

Semiciclos positivos e negativos: como funciona

Agora que você já entende os conceitos básicos que envolvem as pontes retificadoras e sabe quais as partes que integram o sistema, hora de entender como funcionam os dois principais tipos: as de semiciclo positivo e de semiciclo negativo.

Como você também já sabe, as fontes elétricas de tensão alternada funcionam com ddps negativas e positivas, o que significa que, a cada semiciclo, a eletricidade flui por um percurso diferente – fator responsável pela alternagem.

No semiciclo positivo, a corrente flui pela ponte retificadora no sentido horário. Com os diodos posicionados estrategicamente no sistema, a eletricidade é desviada por dentro do circuito de forma a passar pelo resistor – associado em paralelo ao sistema – em um sentido específico que deve ser único, para então ser armazenada no capacitor.

Já no semiciclo negativo, a corrente chega pelo lado inverso, ou seja, no sentido anti-horário. No entanto, mesmo a direção sendo oposta, os diodos a direcionam para o resistor por um caminho alternativo, de forma que a corrente passe pelo resistor no mesmo sentido que o do semiciclo positivo.

Feito isso, o capacitor, também chamado de filtro capacitivo, armazena e redireciona a eletricidade para o restante do sistema. Como a eletricidade parte de um único sentido, não existe oscilação na ddp, ou seja, tem-se uma tensão contínua.

como funciona semiciclos

Aplicações: para que servem os retificadores em ponte?

Você deve imaginar, depois das nossas explicações, que as pontes retificadoras são componentes mais que essenciais para a maioria dos sistemas que funcionam com energia elétrica, não é mesmo?

E com razão! essa é a principal aplicação dos dispositivos desse tipo e, inclusive, a mais importante delas – afinal, quem conseguiria viver em um mundo sem equipamentos eletrônicos?

Por esse motivo, listamos algumas das aplicações dos retificadores em ponte para você conferir, olha só:

  • Em circuitos retificadores, especialmente os de eletrônicos;
  • Fontes de alimentação que transformam ca (corrente alternada) em cc (corrente contínua);
  • Transformadores de ca em cc;
  • Eletrodomésticos residenciais.

E então, o que achou de conhecer mais um pouco sobre o universo da elétrica? Aqui no blog da Mul Comercial, tem conteúdo novo toda semana: conteúdos explicativos, dicas e muito mais – não deixe de nos acompanhar e seguir a Mult nas redes sociais!

Até a próxima postagem!

Categorias: Eletrônica

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *