Placas de circuito: saiba o que são e como montar a sua própria

Publicado por Mult Comercial em

As placas de circuito, também conhecidas como PCBs ou placas de circuito impresso, são componentes eletrônicos que estão no centro da maioria dos projetos de engenharia eletrônica, desempenhando função chave na integração e comunicação entre as partes de um circuito.

Devido à função primária que desempenham, as placas de circuito eletrônico estão entre os componentes sobre os quais mais se buscam entender profissionais, estudantes e entusiastas que possuem interesse na área.

Esse componente eletrônico é formado pela junção de partes distintas que trabalham em sincronia para o funcionamento de praticamente todo aparelho eletrônico que temos hoje em dia. Montar uma placa de circuito é, portanto, um trabalho complicado, mas que pode ser facilitado por meio de dicas úteis.

Quer saber mais sobre o que são, como funcionam e, de quebra, receber dicas de como montar sua própria placa de circuito? No post de hoje, a Mult Comercial te conta tudo que você precisa saber sobre o assunto! Acompanhe a leitura:

Afinal, o que é uma placa de circuito?

As PCBs (em inglês) ou PCIs (em português) são entidades eletrônicas que servem de base para a montagem de circuitos eletrônicos. Toda placa de circuito é composta de por algumas partes e materiais indispensáveis, tais como:

  • Placa virgem feita e revestida em material isolante, que pode ser fibra de vidro, fenolite, fibra de poliéster ou outros polímeros com propriedade isolante;
  • Fios de metal condutor que lhe dão a propriedade de ser condutora de energia elétrica;
  • Folha de cobre que é fixada na superfície da placa de circuito, responsável pelas ligações entre os componentes do circuito.

A junção de todas as camadas e materiais dão origem a uma PCI limpa e pronta para ser trabalhada. Vale lembrar que as dimensões da placa de circuito podem ser personalizadas de acordo com o tipo de projeto, o equipamento em que ela será inserida ou a complexidade do circuito.

placas de circuito

Como funciona uma PCB?

O funcionamento das placas de circuito é muito simples: elas funcionam por meio do tráfego de informações, sinais, correntes elétricas e outras propriedades eletrônicas. Quanto mais componentes o circuito apresenta, mais complexas são as informações transmitidas.

Primeiramente, para que a placa de circuito impresso funcione adequadamente, é preciso remover todo o excesso de cobre da superfície, criando-se “caminhos” por onde as informações são repassadas entre as partes do equipamento.

Por isso, dizemos que as placas de circuito funcionam por meio de um processo subtrativo. Basicamente, desenha-se um projeto por cima do material virgem com um outro material resistente à corrosão, geralmente a tinta de canetas permanentes ou similares.

Feito isso, a placa é mergulhada em uma substância corrosiva, que retira a camada de cobre das partes que não foram cobertas pelo material anti-corrosão, mantendo-os intactos e revelando o desenho do projeto feito na placa.

Então, basta lavar, remover o isolamento do cobre, furar os locais estratégicos para os componentes eletrônicos, instalá-los e está pronta a placa de circuito eletrônico!

como funciona uma pcb

Montando sua própria placa: passo a passo

Aprender a montar uma placa de circuito impresso é um verdadeiro rito de passagem, pois marca o fim da dependência exclusiva de outros materiais pré-montados e mais cômodos, a exemplo das protoboards, e abre um horizonte de possibilidades e circuitos a serem explorados.

Pensando nisso, preparamos um guia explicativo de como você pode montar uma placa de circuito impresso em casa, de forma fácil e descomplicada, veja só:

Passo 1: Informações de segurança – o trabalho antes do trabalho

Antes de mais nada, ressaltamos que todo o cuidado é pouco, afinal, alguns dos procedimentos precisam de cuidados redobrados antes de serem realizados, certo? Então, aqui vão algumas dicas de segurança:

  • Faça todo e qualquer procedimento em ambiente aberto, bem ventilado e cujas superfícies estejam revestidas com jornal ou outro tipo de material;
  • Retire todos os objetos que estiver usando: anéis, colares, brincos e afins e use luvas;
  • Prenda os cabelos antes de iniciar os procedimentos;
  • A substância utilizada para a corrosão do cobre precisa ser bem administrada, pois tem cheiro forte, mancha e não pode ter os vapores inalados.

E lembre-se: segurança em primeiro lugar!

sinal de atencao

Passo 2: Separando os materiais necessários

Os materiais necessários vão depender do tipo de circuito, dimensões do projeto e alguns outros fatores, mas, para um circuito simples, você precisa de:

  • Uma PCI virgem;
  • O diagrama do seu projeto (que pode ser encontrado em fóruns e sites de eletrônica e especificamente dedicados ao assunto);
  • Percloreto de ferro (encontrado sob a forma líquida ou sólida);
  • Perfurador de placa (pode ser encontrado em lojas de ferramentas e, em casos extremos, pode ser substituído por um prego afiado);
  • Marcados para circuito impresso;
  • Material de solda;
  • Componentes eletrônicos.

Materiais extras:

  • Cortador de placas;
  • Lixa de papel;
  • Prego ou pedaço de metal.
  • materiais para montar um circuito

Passo 3: Desenhando o projeto na placa

Com o diagrama do ser projeto em mãos e na escala correta – fator que determina o posicionamento dos componentes e a sua fixação no circuito –, posicione-o sobre a placa e faça a marcação dos furos com um material pontiagudo, que pode ser um prego ou a ponta de um ferro de solda frio.

Depois, com o auxílio do marcador para circuitos eletrônicos, trace as linhas do seu projeto na placa virgem, pode ser à mão-livre mesmo, o importante é certificar-se de que todos os traços estejam bem contornados e que nenhuma conexão está quebrada.

Desenhando o projeto na placa

Uma dica é indicar a polaridade dos componentes, para não ter erro na hora da montagem! Feito isso, hora de ir para o próximo passo:

Passo 4: Corrosão e perfuração

Essas são as etapas que mais requerem cuidados e, por isso, é sempre bom relembrar as dicas de cuidado do Passo 1, ok?

Se a sua solução de percloreto de ferro já veio na forma líquida, então tudo certo para iniciar a corrosão. Caso você tenha adquirido a forma em cristais, é necessário dilui-lo em água conforme as recomendações do fabricante.

Acondicione a mistura em um recipiente plástico de espessura mediana, em quantidade suficiente para cobrir sua placa de circuito. Como o percloreto de ferro é uma substância que mancha, tome todos os cuidados necessários e faça esse procedimento em um ambiente aberto e ventilado.

Com uma pinça plástica (jamais utilize quaisquer objetos metálicos para manusear a placa na substância), coloque a placa na solução de percloreto e deixe agir por 15 minutos. A maneira mais segura de saber se o procedimento está completo é realizando uma inspeção visual.

Quando todo o excesso de cobre for removido, a etapa foi concluída com sucesso. Agora é só retirar a placa da solução – descartá-la ou mantê-la tampada ao abrigo da luz e fora do alcance – lavá-la com bastante água, remover a tinta do marcador com acetona e perfurá-la.

Para a perfuração dos pontos marcados no Passo 2, você pode utilizar um perfurador de placa ou um prego fino e pontiagudo.

corrosao e perfuracao

Passo 5: Montando o circuito e toques finais

Agora que todo o trabalho está concluído, é hora de instalar os componentes do seu circuito: resistores, diodos, capacitores, LEDs e muitos outros, dependendo do seu projeto. Solde-os conforme o projeto, certificando-se de que as polaridades estão na ordem correta.

Feito isso, é só dar os ajustes finais, conferir se não existem rebarbas de cobre ou do material da placa (se houver, basta lixá-las com a lixa de papel) e aproveitar da sua nova placa de circuito impressa!

circuito montado

Então, gostou do nosso conteúdo? Agora que você já sabe tudo sobre as placas de circuito, que tal conferir nosso post sobre como fazer circuito eletrônico com arduino? Aqui no blog tem conteúdo novo toda semana, não deixe de acompanhar e receber mais dicas, guias e novidades sobre o universo da eletrônica. Até a próxima!

 

Categorias: Eletrônica

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *