As leis de Ohm: saiba mais sobre a resistência elétrica!

Publicado por Mult Comercial em

Você já ouviu falar sobre as leis de Ohm? Quer aprender mais sobre o que é uma resistência elétrica? Então, chegou ao lugar certo. De forma didática, esperamos dar a você uma introdução sobre o assunto. 

Para iniciar, vamos ao conceito. A resistência elétrica pode ser definida segundo a dificuldade oferecida pelo condutor, enquanto a corrente elétrica passa por ele. Esse nível de dificuldade, (ou podemos chamar de intensidade) é o que calculamos por meio das Leis de Ohm

Desse modo, não nos restam formas mais bonitas de homenagear o físico alemão George Simon, que chamou a unidade de medida para a resistência de Ohm  (Ω). Pois bem, agora que entendemos um pouquinho da parte histórica, vamos ver como tudo isso funciona: 

O condutor, ao ser conectado a uma fonte de tensão (U), recebe o movimento da corrente elétrica, que é constituída por meio dos elétrons livres, internamente. A partir do momento em que esses elétrons livres estão se movendo, eles, inevitavelmente, colidem uns com os outros, e também com os átomos que estão por perto. 

Podemos afirmar que a quantidade de colisões e o nível de empecilhos que a corrente elétrica encontra, conforme vai passando pelo condutor, é o que nós costumamos identificar como a resistência elétrica. 

A primeira Lei de Ohm: entenda aqui!

primeira lei de ohm

Quando temos proporções lineares, chamamos o condutor de ôhmico. Nesses casos, em que as grandezas são proporcionais, elas possuem uma razão constante e podem ser caracterizadas da seguinte forma:

U = constante
i

Essa constante é o que nomeamos de resistência elétrica do condutor. Quanto maior o comprimento do condutor, maior sua resistência, já que se trata de uma resistência diretamente proporcional.

A equação que vimos anteriormente é a que denominamos como a Primeira Lei de Ohm. Afinal, a resistência pode sofrer variação de acordo com a tensão da corrente elétrica de um condutor.

Essa equação pode ser aplicada a todos os resistores, no entanto, apenas os condutores ôhmicos têm a capacidade de manter seu valor constante, mesmo que a tensão e a corrente em que são submetidos variem.

O que determina a resistência de um condutor?

Os fatores capazes de determinar a resistência de um condutor são muitos, porém alguns deles são essenciais, pois fazem toda a diferença:

  • Área transversal: esse é um fator que corresponde à largura do condutor. Ou seja, quanto maior a largura, mais facilidade os elétrons terão para passar por ele e, consequentemente, a resistência será menor.
  • Comprimento: o condutor também é determinado por seu comprimento. Isso porque, quanto mais extenso ele for, mais os elétrons terão que “viajar” dentro do condutor. Isso significa que a resistência será maior, como esperado.
  • Qualidade do componente: os componentes que integram o condutor são muito importantes. Afinal, aqueles que possuem uma quantidade de elétrons livres maior, ajudam durante o momento em que a corrente passa, resultando em menor resistência.

Cada um desses pontos está relacionado ao nosso outro tópico:

Quer saber mais sobre o assunto? Veja aqui a Segunda Lei!

segunda lei de ohm

A Segunda, é a lei que descreve quais grandezas físicas se relacionam com a resistência elétrica de determinado condutor. Entenda por que os pontos apresentados antes são importantes nesse contexto.

A segunda Lei de Ohm afirma que a resistência elétrica de um condutor homogêneo é diretamente proporcional ao comprimento do condutor, ao mesmo tempo em que é inversamente proporcional à sua área transversal, como vimos nos pontos que ressaltamos acima.

Por causa disso, em aplicações que exigem correntes elétricas de alta intensidade, sempre devemos utilizar fios mais grossos. Isso porque eles possuem menor resistência elétrica e, assim, não espalham muita energia por meio do calor.

Resistores: entenda mais sobre seu uso

resistor

Por fim, como podemos considerar a função básica dos resistores e o seu uso? Se você conferir, aí mesmo na sua casa, existem diversos aparelhos que ligam e desligam utilizando a resistência elétrica, não é mesmo? Muitos deles são comuns no dia a dia.

Esses aparelhos funcionam através de pequenos dispositivos que são os resistores. Sua função básica é justamente transformar energia elétrica em energia térmica. Podemos listar vários como exemplo, olha só:

O chuveiro, secador de cabelo, churrasqueira elétrica, ferro de passar roupas, forno elétrico e muitos outros. Nesse sentido, percebemos como esse fenômeno da física é importante durante a nossa rotina.

Quando utilizados em circuitos, os resistores também podem atuar como impedimentos, que limitam a passagem de corrente elétrica, ajudando na prevenção de danos em dispositivos eletrônicos. Outra função essencial para evitar prejuízos e acidentes.

Como vimos, a resistência elétrica se relaciona com o fato de acontecerem choques entre os átomos e elétrons dentro dos condutores. Vale lembrar, portanto, que esses choques são os responsáveis por provocar a elevação da temperatura no condutor, que chamamos de Efeito Joule.

Tal efeito atua como um embasamento físico para que os resistores funcionem. Mas isso é assunto para outro post.

Esperamos que esse conteúdo tenha te ajudado a entender melhor o que significa e como funciona a resistência elétrica.

Nos vemos no próximo post!

 

Categorias: Eletrônica

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *