Inversores de frequência: um guia completo MultComercial!

Publicado por Mult Comercial em

Tudo sobre inversores de frequência! Um Guia Mult Comercial!

Se você trabalha com motores, seja atuando com um ou prestando serviços de manutenção, já deve ter ouvido falar de inversores de frequência, não é mesmo? De maneira geral, esse aparelho atua potencializando a capacidade de controle nos motores, tornando-o mais primoroso e sofisticado.

Contudo, muito mais que saber a função do aparelho, é entender como inversores de frequência são equipamentos vantajosos, tanto para a saúde do motor quanto para a aplicação.

Pensando nisso, nós do blog da Mult Comercial, elaboramos um guia completo com todas as informações necessárias para você sair daqui um especialista em inversores de frequência! Continue conosco e confira!

O que é um inversor de frequência?

Objetivamente, um inversor de frequência é um equipamento eletrônico com potencial para diversificar a velocidade de trabalho de motores trifásicos com funcionamento elétrico. Contudo, para entender como ele atua, antes precisamos compreender o que é um motor trifásicos, beleza?

Bem, apesar de ser extremamente eficiente, um motor elétrico com funcionamento por indução trifásico é bastante básico. Ele “simula” a frequência de rede a qual está aplicado. Sendo assim, uma rede de sessenta hertz alterna sessenta vezes por segundo (60Hz) – dado que a frequência é medida pela quantidade de vezes que ela alterna.

O que isso quer dizer? Bem, toda essa tensão oscilante atravessa as bobinas do motor e cria uma área giratória, que tende a ser seguida pelo motor. Resultado? Quanto maior a frequência, mais rapidamente será a atuação do motor. Tá certo, mas e onde entra o inversor de frequência?

Qual é a função de um inversor de frequência?

Veja bem, quando é preciso alterar a velocidade do motor, o inversor apresenta ser uma excelente alternativa, já que consegue mudar a frequência da rede de alimentação. Conseguiu entender a relação?

Responsável por diversas vantagens – a depender das especificações de cada aparelho – há aqueles que permitem otimizar a velocidade com base em controles pré-estabelecidos no equipamento. Além disso, eles também garantem mais autonomia de manipulação da velocidade – sem que ocorra grande perde de torque do motor.

Dentre esses ganhos, podemos citar também a aceleração mais refinada e suave por meio de programas, garantia de frenagem mais eficiente – sem que seja necessário acionar freio mecânicos – sem contar na ótima precisão móvel e versatilidade de controles externos.

O que é parametrização de inversor de frequência?

Para que um inversor de frequência possa atuar em conformidade, não basta somente fazer a instalação de forma adequada, mas também é preciso informar ao aparelho em que contexto ele deverá atuar. O que isso quer dizer?

Bem, isso nada mais é do que o principio da parametrização de um inversor, que diz respeito a ditar a maneira que ele deverá trabalhar. Por isso, quanto mais funcionalidades o aparelho oferecer, igualmente maior será o número de parâmetros a serem estabelecidos.

Existem diversos parâmetros, como você já deve ter percebido. Contudo, dentro do que é considerado essencial padronizar em inversores de frequência podemos citar:

Parâmetro P009: Liberação de alteração de parâmetros

É um tipo de parâmetro usado como meio de proteção ao aparelho. Por isso, ele usa recursos seguros para impedir que pessoas sem instrução ou não autorizadas altere os encaminhamentos determinados para o trabalho.

Parâmetro P084: Tensão nominal do motor

Muito comum nos inversores comerciais, ela atua passando diretrizes de funcionamento para que o inversor de frequência atue. Isso quer dizer deve ser informado na programação em qual tensão nominal ele deverá atuar, como por exemplo em 220VCA.

Parâmetro P083: Corrente nominal do motor

Muito importante como recurso preventivo, esse parâmetro atua na proteção do aparelho em relação a possíveis sobrecargas. Assim, ele dita o valor de corrente que deverá ser usado nas formulas matemáticas elaborados pelo inversor, determinando parâmetros para um trabalho seguro.

Parâmetro P003: Frequência mínima de saída

Se a principal função do inversor é a variabilidade da velocidade do motor, nada mais certo do que parâmetros para essa funcionalidade acontecer de maneira adequada.

Dessa forma, o P003 é um tipo de programação que determina o trabalho do inversor dentro de uma escala variável de 0,0Hz a 650Hz. Contudo, precisa ser sempre menor que a frequência máxima.

Parâmetro P013: Frequência máxima de saída

Se é necessário um parâmetro para determinar a velocidade máxima de trabalho para um inversor de frequência, também é preciso definir métricas para a potência máxima.

Da mesma forma que o anterior, a velocidade pode variar de 0,0Hz a 650Hz. Entretanto, precisa necessariamente ser maior que a frequência mínima.

Parâmetro P031: Frequência de JOG

Por vezes é necessário que o motor trabalhe em uma velocidade bastante baixa. Sendo assim, o parâmetro de JOG é usado para definir um nível de velocidade que permita posicionar a peça antes da máquina iniciar sua potência normal.

Parâmetro P002: Tempo de partida (rampa de aceleração)

Variável dentro de uma escala de 0 a 650 segundos, esse parâmetro define o tempo que o motor chegará na velocidade determinada. Contudo, é preciso atenção! Caso o motor esteja ligado mecanicamente a demandas pesadas, uma partida muito ágil pode “desativar” o sistema de proteção da máquina – e não queremos isso, concorda?

Parâmetro P003: Tempo de parada (rampa de desaceleração)

De maneira contrária ao parâmetro anterior, o inversor também pode ser responsável pela definição de velocidade de parada. Ela também têm escala de 0 a 650 segundos e precisa – assim como no tópico P031 – considerar a qual demanda está ligado o aparelho.

Parâmetro P006: Tipo de referência de entrada

Um dos parâmetros mais importantes com certeza é o P006. Ele é responsável por dizer ao inversor de frequência como iremos manipular a velocidade do motor, e isso pode variar de acordo com o tipo de sinal de entrada. Como assim?

Por exemplo, se for determinado comando 1, a velocidade terá proporção em conformidade com a entrada analógica. Contudo, se estiver em 0, a agilidade de trabalho será dado por meio de um sinal digital. Em ambos os casos o sinal contrário será descartado – no analógico é descartado o digital, assim como o contrário também ocorre.

Parâmetro P076: Frequência de chaveamento PWM

Nesse parâmetro é determinado a frequência da modulação por largura de pulso (PWM). Elas podem ser de 2KHz, 4KHz, 8KHz ou 16KHz. Comumente são usadas valores menores — já que essa medida evitar perdas no motor e interferências eletromagnéticas.

Contudo, é importante considerar as condições de trabalho e o espaço em que ficará a máquina, uma vez que a diminuição pode deixar o motor mais barulhento, o que leva a necessidade de implementação de EPIs adequados.

Como comentamos antes, existem diversos tipos de parâmetros de definição e eles variam de acordo com as especificidades do inversor de frequência usado. Nesse caso, vale a pena buscar por informações específicas para o tipo que você possui ou deseja!

Como comprar um inversor de frequência?

Se você não possui um inversor de frequência, mas está interessado em adquirir um, existem algumas questões importantes antes de fazer a escolha. Características como corrente nominal do motor, capacidade de trabalho, sistema escalar ou vetorial e funções extras podem determinar o modelo adequado para a situação! Vamos entender mais? Confira abaixo!

1 . Corrente nominal do motor

A primeira coisa a ser observada é a corrente nominal do motor. Por isso, para um dimensionamento eficiente, é preciso compreender que há aparelhos com correntes idênticas e diferentes.

Isso ocorre, pois a corrente nominal recebe influência de diversos fatores, como a quantidade de polos existentes, por exemplo. Para saber qual o valor do seu motor, procure pela placa com os dados da máquina. Lá você irá encontrar tudo o que precisa.

2 . Capacidade de trabalho

Outro fator que precisa ser considerado é a sobrecarga na partida. Porém, é necessário saber que o valor da corrente de partida é sempre superior a nominal, e isso pode ultrapassar a capacidade de trabalho – dependendo da inércia gerada.

Por isso, sempre considere um aparelho que permita a sobrecarga do motor, se não é possível ocorrer desarme das defesas do aparelho, que não estará mais protegido contra danos de cargas em excesso.

3 . Tipo de sistema

De maneira global, existem dois tipos de inversores de frequência: com sistema escalar e com sistema vetorial. Os escalares são mais vistos em setores industriais e possuem ampla diversidade de funções. Já os vetoriais, são muito utilizados em atividades mais complexas – que necessitam de maior controle – como no caso de elevadores, por exemplo.

4 . Funções adicionais

Em algumas situações são necessárias funcionalidades nos inversores de frequência, que atuem além do controle de velocidade. Para isso, podem ser considerados relés, temporizações, comandos ligados por entradas digitais ou analógicas, dentre outros.

Por isso, considere sempre o modelo que permitir controle melhor do motor a qual será ligado. Por exemplo, em inversores para climatizadores, é necessário acionamento de ventilador e bomba, além de outras aplicações como manipulação do swing.

E daí, o que achou do nosso conteúdo? Aqui no blog da Mult Comercial você encontra diversos textos como esse. Vale a pena continuar conosco e conferir mais do nosso arsenal de posts sobre eletrônica, robótica e tudo que envolve o universo tecnológico!

Aproveite que está aqui e leia nosso texto sobre transformadores de energia! Nele você aprende o que são esses equipamentos, além de descobrir como utilizá-los. Te espero por lá, tudo bem?

Categorias: Dicas e Tutoriais

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *