Conheça os tipos de multímetros e suas diferenças!

Publicado por Mult Comercial em

A demanda por equipamentos de maior precisão aumenta na medida que a eletrônica se sofistica. Um dos itens comuns em praticamente todos os ramos é o multímetro, e saber como usar esse aparelho faz toda a diferença.

Entender qual o melhor multímetro depende de mais do que selecionar o mais potente e variado em recursos, porque a maioria oferece os mesmos recursos base, o critério fica a respeito do perfil de uso, do ramo e das necessidades que cada um implica.

Antes de tudo, é fundamental compreender seu funcionamento e os tipos de multímetros para ganhar não apenas em performance, mas em custo-benefício. Para aprender como usar um multímetro, continue a leitura deste post!

O que é um multímetro?

Para entendermos como usar esse aparelho corretamente, precisamos começar do início, sendo assim, vamos às definições. O multímetro é um item que mede as diferentes grandezas de corrente em correntes elétricas.

Ele possui uma chave seletora para selecionar os parâmetros a serem medidos, e estes padrões são:

  • Tensão ( ACV e DCV, em Volts, contínua e alternada);
  • Corrente elétrica (DCA, em Ampéres, contínua e alternada);
  • Resistência ( em Ohms);
  • Capacitância;
  • Temperatura;
  • Teste de transistores.

Os padrões são comuns aos diferentes tipos de componentes eletrônicos e funções que compõem as placas, baterias e outros itens, e são usados em tantos ambientes quanto houver escalas de grandezas elétricas a serem verificadas; na indústria, é o primeiro meio de diagnóstico do funcionamento de máquinas, na mecânica automotiva, com os implementos nos carros, é demandada para analisar as bobinas de ignição, painéis, rádios, baterias. 

Em oficinas de eletrônicos, testam cabos, indutores, baterias, fusíveis, circuitos. Na computação, dão conta dos testes em placas, fontes, sinais. E, no geral, são companheiros indispensáveis de todos os profissionais de reparos.

Para mais detalhes sobre multímetros automotivos, acesse nosso artigo sobre como escolher o melhor para sua oficina! 

Como o Multímetro funciona?

Para fazer esta medição, o aparelho conta com terminais positivos e negativos, nos quais serão conectadas as ponteiras, hastes metálicas que são conectadas nos polos dos artigos a serem medidos (tomadas, baterias, transistores, fusíveis, diodos, dentre outros).

As ponteiras captam a grandeza selecionada pela chave do multímetro e, dentro do aparelho, seu campo magnético reage com o campo magnético do aparelho, determinando a grandeza em seu mostrador.

Para além desses recursos básicos, a diferença entre os tipos de multímetros costuma ser determinada pela estrutura de funcionamento e design.

Assim, podemos categorizar, de forma geral, os tipos de multímetros entre os analógicos e os digitais.

Multímetros e suas diferenças.

Saiba mais sobre os multímetros analógicos

Multímetros Analógicos

Os multímetros analógicos foram os primeiros a aparecer no mercado em formatos portáteis para os técnicos. Sua estrutura é composta por um imã que fica posicionado abaixo da chave seletora, que tem um campo magnético. 

Quando as ponteiras tocam a superfície a ser testada, envia uma corrente para a bobina, que reage com o campo eletromagnético neste imã e, fixado nele, fica o ponteiro do mostrador.

A tela de medição possui escalas e grandezas desenhadas e, de acordo com a escala selecionada, ela aponta ou oscila dentro daquele parâmetro desejado. Possui um mostrador mais intuitivo visualmente, mas talvez menos prático na leitura em algumas situações.

Conheça os multímetros digitais

Multímetros digitais

Já os multímetros digitais possuem uma estrutura parcialmente analógica, mas a leitura é codificada por um sistema digital que, ao invés de trabalhar com um ponteiro, transforma a leitura em números, que são enviados a uma tela de LCD em que esses números são mostrados com precisão.

Conta com alguns comandos extras, como a capacidade de determinar a máxima e a mínima de oscilação, resetar o mostrador e congelar o mostrador. Mas essas funções variam de aparelho para aparelho, já que é mais fácil inovar em plataformas digitais. E agora? Está em dúvida sobre qual o melhor tipo para você? A gente te ajuda!

Qual multímetro é melhor para mim? Analógico ou digital?

A resposta para esse pergunta pode ser muito relativa. É comum pensar que os multímetros digitais são superiores aos multímetros analógicos porque vieram depois e supostamente os substituem, mas isso não é verdade neste caso. Tanto que os multímetros analógicos continuam sendo produzidos e ganhado complementos.

Isso porque o campo da eletrônica é muito variado e muda de acordo com as necessidades de cada especialidade.  Podemos dizer que, no geral, uma das grandes diferenças é a forma do mostrador e suas funções extras.

Ainda que os multímetros digitais possuam algumas finalidades extras, nem sempre elas são necessárias em todos os meios, assim como em uma situação em que é necessário, por exemplo, medir a oscilação de uma corrente, o mostrador de números pode ser confuso e pouco preciso, enquanto o ponteiro do multímetro analógico oferece uma análise muito mais intuitiva.

Esse é um dos grandes motivos pelos quais a maioria dos técnicos em componentes eletrônicos possui ambos. O ideal é que você avalie a situação específica, antes de investir em um ou outro modelo. 

Quer entender mais sobre esse assunto? Confira nosso post que dá detalhes sobre como escolher entre multímetros digitais e analógicos, de acordo com o seu uso. 

Como usar um multímetro?

Saiba qual o melhor multímetro!

Antes de começar a usar seu multímetro vale a pena considerar todas as questões de segurança. Por isso, Lembre-se sempre de verificar se a chave seletora do aparelho está funcionando corretamente. 

Também observe as pontas de prova, caso estejam rompidas ou se tiverem mal contato você deve verificar nesse momento. Você pode causar um curto circuito nas pontas de provas que pretende utilizar, se não bipar, desconfie. 

Confira o visor e a bateria. Se ambos estiverem funcionando corretamente, com todas as informações legíveis, podemos começar. 

Dicas de como usar o multímetro

Você deve usar as funções de tensão para medir corretamente. Seja em corrente contínua ou corrente alternada.  Os dois tipos são medidos de forma semelhantes, porém, enquanto o primeiro é  a maneira como você recebe energia de aparelhos, a segunda é proveniente de pilhas e baterias.

Os multímetros apresentam modelos diferentes, mas, de forma geral, inicialmente o ponto mais importante é conectar as pontas de prova corretamente. Coloque as pontas nos bornes que possuem a especificação correta para a corrente que você deseja cumprir. De acordo com a numeração. 

Depois disso, basta escolher a escala correta, de acordo com a medição. Muitos multímetros têm uma grande escala de escalas que podem ser utilizadas. No entanto, para garantir que o equipamento não seja danificado, nem que ocorram acidentes, selecione sempre uma escala mais alta. Além disso, lembre-se de verificar se trata-se de uma corrente contínua ou alternada. 

Para ver como acontece na prática, leia nosso post com uma demonstração do multímetro HM-100 Hikari

Vale a pena investir em um multímetro!

O multímetro é um aparelho prático, portátil e indispensável na vida de todos os profissionais e hobbistas do meio.

Definir a forma correta de usar esse equipamento acaba sendo uma questão muito relativa ao tipo de trabalho exercido e ao orçamento do técnico. Mas ambos os modelos possuem as mesmas funções e escalas elementares para que você possa trabalhar com precisão.

E então, gostou do post? Esperamos que ele te ajude a iniciar seus aprendizados sobre o uso do multímetro. No entanto, vale lembrar que esse é um trabalho que pode oferecer riscos, portanto, é preciso estudar o assunto mais detalhadamente. 

Continue acompanhando nosso blog, para descobrir ainda mais sobre o mundo da eletrônica e continuar aprendendo. Por aqui, estamos sempre trazendo novidades, dicas e sugestões sobre o assunto. 

 

Categorias: Eletrônica

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *