Como escolher a fonte de alimentação para bancada ideal?

Publicado por Mult Comercial em

Algo que não pode faltar para um técnico em eletrônica, é a famosa fonte de alimentação para bancada! É ela que faz a mágica acontecer nos serviços de reparos, agilizando diagnósticos e possibilitando testes no aparelho sem a necessidade de montá-lo a cada nova testagem.

Ter um equipamento desse tipo é indispensável, e a responsabilidade de escolhê-lo é grande, pois há variações de modelos, potência e recursos que podem ser bem aproveitadas ou acabar deixando a desejar dependendendo do ofício do profissional.

É por isso que é importante considerar alguns fatores no momento de decidir uma fonte de alimentação para bancada. Nesta publicação, vamos falar um pouco sobre o assunto. Continue a leitura para conferir!

Como funciona a fonte de bancada e quais são seus tipos?

como funciona a fonte de alimentação e quais são seus tipos

Basicamente, a fonte de bancada é um terminal de alimentação de energia, assim como as fontes de computador, por exemplo.

A diferença é que este modelo é capaz de ter sua potência regulada com grande variedade e, mais do que isso, consegue quantificar a corrente analisada. Logo, pode servir tanto como instrumento de medição de corrente e voltagem, quanto alimentação para componentes eletrônicos.

Por conta disso, seu papel é indispensável nas bancadas eletrônicas, mas entre as opções existe, ao menos, uma subdivisão de categorias:

Fontes de bancada lineares

fontes de bancada lineares

São aquelas em que a tensão é aumentada ou diminuída através do transformador, passando por uma retificação de energia, um filtro de ruído e regulada por um circuito de tensão, operada por um potenciômetro.

Fontes de bancada chaveadas

fontes de bancada chaveadas

Possuem um circuito de realimentação que ajusta a tensão pré-determinada pelo chaveamento, sendo limitada já de início.

As diferenças entre ambas não são poucas:

Os modelos chaveados, por limitarem desde o início a tensão, acabam tendo menos ciclos. Dessa forma, dissipam menos energia em calor e são capazes de receber muito mais tensão.

O fato de seus componentes serem menos robustos possibilita, também, que tenham uma estrutura mais compacta.

A fonte linear, devido à seu sistema, oferece mais precisão e recebe muito menos interferência (ou nenhuma) ou cria ruído em relação à chaveada.

O que considerar ao comprar uma fonte de bancada?

O que considerar ao comprar uma fonte de bancada

Assim como a maioria dos equipamentos do mundo da eletrônica, as fontes de bancada costumam receber implementos importantes que podem mudar a experiência do usuário e auxiliar no trabalho do dia a dia.

Entre eles, podemos citar:

  • A capacidade de tensão atingível

Toda fonte de bancada terá um limite de voltagem e amperagem medida na corrente. É essencial levar em conta o serviço que será feito antes de escolher.

Para aqueles que trabalham com celulares e placas de computador e notebook, uma fonte acima de 30V pode ter um custo que não se pague, para placas mais complexas, 30V talvez seja até pouco.

Este certamente será o primeiro passo norteador para o profissional: suas necessidades práticas de potência para trabalhar!

  • A limitação de tensão/corrente e proteção contra curtos

Aplicar uma sobretensão sobre uma placa é capaz de danificá-la. Descuidos também podem acontecer, seja determinando errado a tensão a ser aplicada ou até esbarrando nos potenciômetros sem querer.

Assim, ao usar o recurso de limitação de tensão, o aparelho negará o aumento acima do determinado, evitando sobretensões.  Também é possível estabelecer uma proteção contra curtos, pois nem toda sobretensão deteriora necessariamente a placa, mas um curto sim.

Esse recurso é especialmente importante para iniciantes que não tenham tanta certeza sobre todos os componentes.

A fonte pode entrar em modo de corrente aberta em sobrecorrente e em modo de proteção contra curtos, de acordo com a estrutura do equipamento.

O recomendado é sempre começar com uma tensão inferior e ir aumentando-a gradualmente até atingir o ideal.

  • Precisão

Em algumas situações, com componentes mais sensíveis, de tensão ou corrente muito pequena, que operam em valores muito baixos, a necessidade de determinar seus valores pode ser comprometida, tanto pela capacidade de precisão como pelo número de caracteres no display.

  • Voltagem

Observe a capacidade de sua fonte. Muitas são bivolt, mas, quando há a necessidade de transformar a tensão da rede em um aparelho como a fonte de bancada, é possível haver problemas por conta do tipo de consumo e de interferências (principalmente em fontes chaveadas).

Todos esses dados podem ser verificados no manual ou nas descrições dos fabricantes.

Conclusão

conclusão

Montar a bancada de eletrônica pede uma fonte de alimentação ideal para conduzir os seus testes. Escolher esse equipamento com atenção é a garantia de que ele irá te acompanhar durante anos de trabalho.

Na Mult Comercial você encontra uma variedade enorme de fontes lineares e chaveadas, com diversas potências e recursos extras. Aproveite para conferir!

E se você curte ler conteúdos sobre eletrônica, continue acompanhando nosso blog. Semanalmente publicamos uma nova postagem!

 

Categorias: Eletrônica

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *