Review Jensen C12N (parte 1)

Publicado por Guilherme Farias em

        Salve galera, sejam todos muito bem vindos ao primeiro review de alto- falantes aqui da Mult Comercial!

        Para começar bem essa série de textos vamos de clássico!

        Sem sombra de dúvidas, o C12N é um clássico dessa grande empresa italiana de alto-falantes que é a Jensen.

O lendário C12N

        Para exprimir o quão clássico são os projetos da Jensen, é bem natural associá-los aos projetos de amplificadores da Fender.

Amplificador da empresa Fender alimentado com um alto falante da Jensen.

           No caso, o C12N é um ótimo exemplo de estudo da linha de alto-falantes VINTAGE com a tecnologia de imãs cerâmicos, ou seja, teremos aqui um projeto para timbres clássicos, com uma margem razoável de potência a disposição (no caso: 50W).

        Devidamente apresentados, vamos entender mais sobre o que esse menino pode trazer para a gente!

Para isso, vamos para a área técnica.

        Existem duas maneiras clássicas de você atestar as qualidades de um alto-falante: uma delas é avaliando o datasheet com todo (que nada mais é do que o descritivo técnico do equipamento), e a outra, é ouvindo-o em diferentes situações.

Vamos trabalhar com as duas linhas aqui nesse artigo!

        Na parte 1, só vamos curtir o equipamento e discutir de maneira tranquila suas características, comentando brevemente nossas experiências em estúdio em relação as características apresentadas pela própria empresa que desenvolveu o alto-falante.

        Na parte 2, aprofundamos a parte técnica e entenderemos como olhar para o datasheet do equipamento e retirar informações interessantes, sem nunca ter ouvido nada do projeto.

        De início, vou desenvolver aqui um estudo psicoacústico do alto-falante (diante das experiências que tivemos com ele no estúdio), e posteriormente divulgo arquivos de áudio para que você possa ouvir o que conseguimos extrair desse alto-falante.

Análise Psicoacústica 

           Os Graves: De acordo com o site da Jensen, os graves desse projeto são Loose, que traduzido para o português significa: soltos,afrouxados. Traduzindo para termos musicais. Singelos e razoavelmente atenuados.

Nossa experiência: Existe uma resposta agradável na região dos graves, mas não é isso que vai fazer você pirar nesse projeto.

Conclusão de graves: Graves bem contidos, mas estão lá cumprindo o básico.

        Os Médios: De acordo com o site da Jensen, esse alto-falante tem médios agressivos.

        E eles estão cobertos de razão! Esse projeto entra rasgando nos médios, e nada mais justo para um alto-falante vintage ter uma pegada séria de médios.

        Isso é bom? Depende do que você gosta… Por exemplo, se você gosta do timbre de uma stratocaster com um tubescreamer, você provavelmente vai adorar a resposta de médios desse alto-falante.

Conclusão de médios: Médios marcantes e que garantem bastante inteligibilidade para o timbre.

        Os Agudos:  Assim como descrito no site, brilhantes

        Meus queridos, aqui o projeto mostra para o que veio! Esse menino dá aula em frequências médio-agudas e agudas.
       

  Vem com bastante definição nas notas e um tempero delicioso para o timbre.

Conclusão da análise psicoacústica:

        A conjuntura de médios, médios-agudos e agudos nesse projeto da Jensen é o ponto alto do negócio.

        Trata-se de um alto-falante com o som quente, bem temperado, cheio de personalidade, que com certeza se encaixará bem com muitas linhas de timbre clean.

Análise de demos

        Dentro do estúdio, usamos o amplificador Ions modelo Ohm na sua versão Y, alimentando um C12N de 8 ohms em diferentes configurações de setup para sentir se o equipamento segurava o tranco.

Amplificador Ions modelo Ohm, versão Y.

        Na primeira track gravada, usamos até um oitavador, e tudo com um shred de respeito!

                Para conferir o som: 

Ouça com fones para ter a melhor experiência.

        Como vocês podem ouvir, os graves estão ali, tranquilos, mas contidos, enquanto os médios e agudos tomam conta da mix por completo rasgando tudo com gosto.

        A track Feeling Shredded mostra a capacidade desse conjunto de garantir os bons e velhos solos de 2 à 3 minutos que muitos álbuns traziam em suas listas antigamente.

         Depois disso, partimos para uma tendência do mercado atual: O progressivo clean/worship, cheio de reverb e notas imersivas.

                Para conferir o som:

Ouça com fones para ter a melhor experiência.

        Esse era o nosso teste de fogo para o C12N! Sentir como ele responderia com notas bem sustentadas e pontuais.

        Para a nossa alegria, foi exatamente ai que ele brilhou!

Que timbre meus amigos! Que timbre!

        Para o próximo bate papo, vamos aprender como observar os tais gráficos de resposta de um alto-falante (através de seu datasheet) e tirar informações úteis para saber se esse é o alto-falante certo ou não para você.

Se interessou pelo auto-falante? Adquira-o pelo site da Mult Comercial:

https://www.multcomercial.com.br/catalogsearch/result/?q=C12N

Categorias: Demonstração

Guilherme Farias

Quem sou eu: Guilherme Farias, engenheiro elétrico, audiófilo e desenvolvedor de projetos na Ions Amplifiers e Mr Cut Custom Handmades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.