Arduino – Fazendo sua própria arte.

Por Diogo Moura – @Dio_Moura

O Arduino é uma plataforma eletrônica, programável, difundida e open source de hardware e software, para prototipagem eletrônica fundamentada em microcontroladores de 32 bits.

A programação da placa é feita através do computador e a criação dos projetos de interatividade são altamente flexíveis, ou seja, programando com a linguagem do Arduino você pode programar microcontroladores diferentes usando a mesma linguagem.

O Arduino facilitou a utilização de microcontrolador criando uma linguagem basicamente padrão que pode ser usada para outros microcontroladores. Porém, isso não quer dizer que não exista uma linguagem padrão, assim explica o Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES), Felipe Martins. “Como o Arduino usa uma arquitetura específica criaram uma camada adicional e não esconderam do projetista a necessidade, por exemplo, de fazer configuração de registradores ou a configuração de várias coisas no microcontrolador. Ele simplesmente usa uma função que vai fazer uma configuração previamente definida”.

Outra funcionalidade da placa que facilita sua usabilidade são os shields. Por exemplo, ela não possui placa de rede, então precisa ser combinado com os Shields, que são placas que vão acoplar no Arduino, e assim dar-lhe recursos extras. O ethernet shield sendo inserido na placa e fazendo a configuração necessária, propiciará internet nela. O simples ato de espetar o cabo de rede não vai conectar o Arduino à internet.

Toda a programação da placa é feita pelo computador e também pode ler sensores e controlar atuadores. Com isso, você pode fazer a automação de diversos fins, seja residencial, controlando as luzes através do controle remoto, abertura do portão da garagem e até um programa de irrigação para o seu jardim, mas um grande público tem usado a placa para a robótica.

O papel principal do Arduino na robótica é como placa de controle e sua função específica varia entre os robôs. “Nas competições de robótica têm robôs que jogam futebol ou robôs que têm que percorrer um labirinto para encontrar as vítimas. Em geral, as placas Arduino, neste caso, são utilizadas como cérebro principal do robô, onde você carrega o seu programa, conecta os seus sensores ao Arduino e acionam os motores do próprio robô baseados no seu programa rodado no Arduino, então faz o papel de computador geral do robo”, esclarece Felipe.

A placa é feita para os amantes da programação, tecnologia e também para os curiosos que gostam de fazer experimentos com o que há de diferente e prático no mercado. O Arduino pode ser programado conforme a vontade de cada um. Possivelmente, o grande sucesso dessa pequena placa seja a criação de coisas muito interessantes e, com certeza, a imaginação não tem limites no momento da elaboração dos projetos. Entre outras palavras, ela foi criada para ser fácil.

Felipe Nascimento Martins é Professor no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES), Campus Serra, Brasil. Lá, ele foi Diretor de Ensino, é membro fundador do NERA (Núcleo de Estudos em Robótica e Automação), e é professor dos cursos de Engenharia de Controle e Automação e Técnico em Automação Industrial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *